domingo, 24 de julho de 2011

CRIAÇÕES E APRENDIZADO



Editei a postagem para colocar mais estas fotos, a colcha de chita saiu do forno agorinha mesmo, ops da máquina rsrsrsr!!!!




Olá leitores


Nesta postagem quero fazer um mix, quero tratar de dois assuntos que parecem distantes entre si, entretanto, os dois geram aprendizado... Quero mostrar as artes e falar dos Provérbios...
Está quase terminando o período em que a Mônica estará entre nós e neste tempo confesso que aprendi muito, as fotos aqui postadas revelam o que as palavras querem dizer...

Entretanto, quando se mantém interatividade com pessoas de cultura de fora se tem a oportunidade de exacerbar o aprendizado, expandir, viajar sem sair de casa rsrsr!!!

Quero falar um pouco dos ditados populares, provérbios ou ainda ditos populares, já prestaram atenção como esses ditados são carregados de ensinamento...?

Quero dizer que entre um trabalhinho e outro a Mônica sempre soltava um, eu gosto muito deles, porém, os portugueses têm alguns muito diferentes dos nossos rsrsrsr...

Essa diferença que se constitui em verdadeiras preciosidades fazem parte do folclore de cada terra, de cada local, por isso, é possível que nós brasileiros não conheçamos alguns ditados populares de Portugal ou vice versa...

Pude observar que em nossa família usamos bastante estes ditos populares, fomos até chamados atenção por uma amiga da família rsrsrsr...

Mas na verdade o que as pessoas precisam saber que o folclore de uma localidade representa a identidade de um povo e povo sem identidade é povo infeliz, sem autoestima...

Quero mostrar como a interatividade entre povos de diversas raças pode contribuir para o aprendizado de ambos, isto também é turismo, o Pará precisa disso...

Eu já gostava dos ditos populares e agora aprendi mais alguns...


Este sempre falo:

“Quem melhor fizer a sua cama, que melhor se deite nela”.

Quem não conhece o: “água mole em pedra dura... Tanto bate até que fura...”

Mas estes eu amei:

“Mãe malandra, filhos trabalhadores...” (gostaria de ter aprendido este há mais tempo, ADIVINHEM o porquê rsrsrsrsr...).

Este:

“Preso por ter cão, preso por não ter cão...” (significado mais ou menos: numa situação se você faz algo a alguém não presta e se não faz não presta também).

Seguem outros que me lembrei:

“As boas contas fazem os bons amigos.”

“Cada terra com seu uso cada roca com seu fuso.”

“Cesteiro que faz um cesto faz um cento, dando-lhe verga e tempo”

“Cada um puxa a brasa para a sua sardinha”

“Em casa de ferreiro, espeto de pau.”

“Filhos criados, trabalhos dobrados”.
“Filhos das minhas filhas, meus netos são. Filhos dos meus filhos serão ou não.”

“Galo que acompanha pato morre afogado”.( este é a cara do Manu rsrsrsr).
Eita que aprendi muita coisa e queria compartilhar... Beijos carinhosos, muito obrigada a todos e em especial à Mônica...

Pat!

AS FOTOS DE NOSSAS CRIAÇÕES






Esta coisinha de madeira era de perfumes do meu filho mais velho e os minúsculos vasinhos de cerâmica guardei por dois anos, havia uma seita junto de minha casa que distribuia estes vasinhos com uma plantinha natural e quando a plantinha murchava eu ficava com pena de colocar os vasinhos fora, daí já dá para imaginar o que aconteceu...O resgate deste carinho por artesanato na minha vida com a chegada da Mônica transformou tudo...



O nobre cobre bolo, aqui em casa ele tem outra função: cobre pão rsrsrs...!!!


Estas peças são o meu xodó, ví no blog da Fabíola e fiquei doidinha e se não fosse a Mônica não sei não...



Estes copinhos são embalagens de umas velas portuguesas, com toda certeza eles iam parar no lixo e eu fiquei tão empolgada com as aulas da Mônica e queria treinar fiz uma pequenininha decoupage e armei os arranjos e já ficaram em uma estante de corda que estava realmente sem enfeites...Rola um sentimento muito bom quando se aproveita as coisas...


O antes da capa da máquina que eu fiz...


E o depois com a decoupage em tecido que a Mônica fez...Linda, estou satisfeita...

O porta vela era vidro de patê ou de cerejas em calda e com as aulas da Mônica se transformaram, foi só jogar um verniz vitral e pronto..Tudo lindo!!!

Que vergonha! Eu não tinha uma caixa de costura e nunca sabia onde estavam as agulhas, ei-la aqui juntamente com essa toalha de mesa de um metro por um metro que também aprontamos neste período...





Um comentário: