terça-feira, 15 de junho de 2010

I FEIRA TRANSDISCIPLINAR DA FABEL



A turma do Curso de Turismo montou o estande da I Feira Transdisciplinar com objetivo de obtenção de nota para o segundo NPC, o trabalho envolveu mais de um mês para a constituição do artigo científico que se embasava em Sustentabilidade na Amazônia Legal, as fotos aqui mostradas são estande referente ao Município de Bragança, houveram mais dois municípios mostrados e estudados no decorrer do semestre, para fazer jus às fotos segue texto relatando a marujada.

A marujada em Bragança teve início em 1798, os escravos pediram aos brancos a permissão para que organizassem uma Irmandade em honra a São Benedito e em sinal de agradecimento os escravos foram dançar na casa e de casa em casa de seus senhores.
A marujada é formada na sua grande maioria pelas mulheres que são responsáveis pela organização da festa, no decorrer da apresentação nenhuma palavra é falada, cantada ou articulada, as apresentações se traduzem pela dança ao ritmo do retumbão, onde a disciplina da organização depende da “capitoa” e da “subcapitoa”, sendo que esta última somente assumirá a direção da marujada por morte ou renúncia da primeira. A “capitoa” sempre é a mais velha do grupo, carrega nas mãos o símbolo de autoridade, um bastão dourado.

Os homens também usam um traje característico, calça e camisa brancas, chapei com aba virada para o lado e sempre dançam descalços.

Utilizam tambores grandes e pequenos, cuíca, pandeiros, rabecas, violas, cavaquinhos e violinos para produzirem o som dançante da marujada.

Um comentário: