segunda-feira, 3 de maio de 2010

MUNICIPIO DE BRAGANÇA PA







Bragança é uma cidade localizada ao Nordeste do Pará, a 210 quilômetros de Belém, capital do Estado, possui aproximadamente 394 anos de história, foi ocupada inicialmente por grupos indígenas chamados Caetés, que faziam parte dos Tupinambás e eram oriundos das terras baianas e pernambucanas e assim se instalaram por todo o Nordeste brasileiro, fato que evidencia que os colonizadores europeus não foram os primeiros a habitar estas terras.
Com localização privilegiada, a margem esquerda do rio Caeté, a cidade foi palco de umas das primeiras ocupações européias, também chamada, carinhosamente, de “Pérola do Caeté”, a segunda cidade mais antiga do Estado do Pará.
Segundo a história os Franceses foram os primeiros europeus a chegarem na cidade de Bragança, em uma expedição sob o comando de Daniel de La Touche, Senhor de La Ravardiere, em 8 de julho de 1613, esta expedição foi idéia de Maria de Médices, rainha - mãe, que desejava fundar a França Equinocial e pleiteava possessões de terras no Brasil , a exemplo da Holanda.
Daniel de LaTouche chegou ao Maranhão em 1612, lavrou o auto de posse da terra, construiu a fortaleza de São Luis, para depois seguir viagem até as terras de Caeté pelas águas do rio Pará.


A fundação da Vila de Bragança, antiga Souza do Caeté, se deu na gestão do primeiro ministro Marquês de Pombal, na realidade se constituiu num grande processo que envolveu posses de índios e demarcação de terras, num contexto envolvendo colonos, índios, jesuítas e representantes do reino. O clima não era de paz, Francisco Coelho de Carvalho, então governador do Estado do Maranhão, quis obter ilegalmente o direito das terras, então, doou-as para seu filho, Feliciano Coelho de Carvalho, sem se importar com o verdadeiro donatário, Álvaro de Souza, o que gerou uma reclamação deste para o Rei Dom Felipe IV.


Até o século XVII, o Norte do Brasil estava praticamente intocável pelos colonizadores europeus, a terra era povoada pelos Tupinambás e suas subdivisões, relações nada amistosas ocorreram entre os indígenas e portugueses índios foram dizimados tanto por doenças contraídas dos brancos como por lutas. A Vila de Souza do Caeté passou a chamar-se Vila de Bragança, somente a partir de 1753.
O contato dos colonizadores lusitanos liderados por Álvaro de Souza, com os índios não se deu de forma amistosa, o que levou os portugueses a denominarem a Capitania do Caeté de Brigância, se com os portugueses os contatos não ocorriam de modo amistoso, já com os Franceses, que estiveram passando pelo litoral nordestino paraense em período anterior aos portugueses era diferente este relacionamento fora mais amistoso, cumpre ressaltar que a boa amizade dos franceses com os habitantes nativos proporcionou a denominação Benquerença, esta, segundo o povo da terra nos dias atuais, seria a origem do nome. O que de fato nada se pode provar com relação a este relato. Podendo-se considerar esta mais uma das estórias, dentro da história bragantina.
Ainda dentro do contexto da origem do nome, observa-se que o mesmo tem uma ligação muito estreita com a cidade de Bragança, localizada em Portugal, mais um fato comprobatório da ocupação portuguesa em Bragança Paraense, em Portugal existiu uma família chamada de Bragançãos e também uma área denominada de Quinta de Benquerença, deste modo de uma forma ou de outra a origem do nome da Bragança Paraense está ligada a antepassados lusos.
Curioso é que este nome pode ser encontrado em um rio do Estado do Espírito Santo, em uma cidade Européia Portuguesa, em São Paulo, e também na Ilha do Estado do Pará, entre o Atlântico e a foz do Amazonas, no município de Macapá e finalmente na cidade situada à margem do Caeté no Estado do Pará. O que de fato a história conta é que Bragança foi fundada em 13/02/1634, por Álvaro de Souza, na Vila Que era, onde tudo começou, marcando assim este local como marco de entrada dos portugueses no Estado do Pará.

4 comentários: